sexta-feira, 31 de julho de 2009

O rock e a Moda - Parte 5


Anos 80: Melancolia, exotismo e a volta às origens



Foto do The Police no começo dos anos 80. Merece destaque no post pois é uma das minhas bandas favoritas.


No começo na década de 80, ainda sob forte influência do punk, muitas bandas surgiram com o mesmo espírito de insatisfação. A diferença agora estava no aparecimento da música eletrônica. Adicionada ao rock, fez com que as musicas não fossem feitas mais apenas com os tradicionais instrumentos como bateria e guitarra, agora sintetizadores eram usados para fazer novas experimentações no rock. Bandas como Joy Division e The Cure marcaram muito este período. O Joy Division parecia não muito preocupado com o visual, o negócio deles era fazer música mesmo. Já o The Cure trouxe bastante informação de moda, como maquiagem pesada, roupas dramáticas e cabelos desalinhados.
Também ouve uma forte mistura do pop com o punk rock, com influências de reggae e ska, trazendo exotismo ao rock. Bandas como The Police e Duran Duran faziam parte desse movimento. Essa era a “new wave”, ou nova onda.
O visual da new wave ainda adotava muito do punk, afinal ele se tornou símbolo do rock. Mas vendo as fotos do Duran Duran e do Police, agente pode ver o quanto o visual deles é bem mais colorido, e ainda com a presença da cor oposta a cor do rock: o branco. Reflexo do próprio som dessas bandas, que era muito mais leve e, consequentemente, muito mais popular.
Também houve na década de 80 uma releitura da geração beat, aquela do início do rock. Bandas como o Queen cantando “this crazy little thing called love” e B52’s com “Love Shark” marcaram a cara do pós punk.E na moda o visual “teddy boy” voltou com tudo: Jaquetas de couro, calça jeans, camiseta e topete. O visual das meninas do B 52’s tinha influências lá dos anos 60, com mini saia, cabelo estruturado e olhos marcados. Aqui já dá pra perceber que mesmo falando de uma década específica, quando se fala de moda, inflências de várias épocas se misturam.




The Cure: Visual dramático, com roupas pretas, cabelo desalinhado e maquiagem pesada.



Joy Division: Visual " nem ligo para a moda, meu negócio é musica mesmo". Mas ainda assim elegante, com um "quê" de Bitrish.




The Police: Camisas e coturnos, mas usando cores. Forte presença do branco.



Duran Duran: Olha a diferença desse visual para o punk. A jaqueta de couro ainda esta lá, mas bem mais arrumadinha, misturada com cores, estampas, detalhes, etc.



Queen: Visual "Teddy Boy"com jaquetas de couro, camiseta e topete.



B 52's: Meninos com visual Teddy Boy, meninas com influências 60s': Cabelos estruturados, mini saia e olhos marcados.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

O rock e a Moda - Parte 4


O sonho acabou, mas o rock continua: A geração Punk




Ilustração da Deby Harry do Blondie em estilo Pop Art


Na década seguinte, quando toda a euforia hippie havia se acabado, não só outras bandas apareceram, como novos estilos musicais no rock foram surgindo. Bandas de Hard Rock e Rock Progressivo apareceram com novas propostas.
Um movimento em particular marcou muito essa época: O punk rock.
Ele surgiu nas ruas de Londres, era pela musica e pela arte que os jovens expressavam sua insatisfação perante a sociedade as expectativas de futuro oferecidas por ela. Os jovens já não queriam um bom emprego e uma vida confortável. Queriam morrer cedo e viver intensamente. Quando se fala de punk rock, impossível não lembrar da estilista Viviene Westwood, que surgiu no começo desse movimento, e assinou o figurino de nada mais nada menos que Sex Pistols , a banda mais influente do Punk Rock. Outras bandas também foram muito importantes para a geração punk, como Velvet Underground e Iggy Pop e os Stooges. O visual Punk era tão agressivo quanto a sua mensagem. Usavam tudo que era considerado lixo, como roupas rasgadas, desconstruídas, com aplicações pesadas de tachas, anfinetes, etc. E se você reparar nas fotos, a peça que mais aparece é o jeans (sempre ele). Jaqueta de couro também está bem presente nas roupas masculinas.
Os cabelos eram feitos de forma pouco convencional, com cores chocantes e cortados em moicanos.Esse visual, inicialmente foi duramente criticado, mas logo influenciaria até a moda de massa.No final da década de 70 , outras bandas começaram a surgir já influenciados pelo punk: Blondie, Ramones e Talking Heads. Essas bandas já representavam o que se tornaria o pós punk. Nos guetos, o som que rolava era o break e o hip hop. Esses eram os sons da contracultura, enquanto que o que imperava nas paradas era a Disco.



The Stooges: Camiseta Básica, Jeans , Crucifixos, e óculos escuros. Olha o jeans apertadinho do Iggy.


Sex Pistols: Camiseta estampada, Jeans surrado e Jaquetas de couro.



Soft Punk: Terninhos e cabelinhos a la Beatles. O visual do Blondie era bem mais arrumadinho do que o dos punks em geral, mas sem deixar de ser contestador.




Ramones: Cabelos longos, jeans, camisetas de banda e tênis.


Taling Heads: Outra banda com visual arrumadinho, mas esse tem uma inspiração mais cara de banda dos anos 50.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

O rock e a Moda - Parte 3



Olhos marcados eram o principal foco de atenção.

Anos 60 – O Baby Boom

Baby Boom é o termo usado para definir a geração que nasceu do pós guerra. É chamado dessa forma por que na época, a população apresentou grande crescimento. Mas esse não seria o maior acontecimento da época. Na década de 60, houve uma verdadeira revolução de valores e comportamentos. Nada mais seria visto como antes. As idéias dos jovens, que na década anterior circulava pelos bares e centros boêmios, agora tomava conta das ruas.Veio a guerra do Vietnã, mas as pessoas não queriam mais morrer pelo seu país, agora elas pediam por paz e liberdade . Vários protestos estudantis aconteceram, com ideais radicalmente duros contra a sociedade americana.Esses protestos chegaram ao rock por artistas como Bob Dylan , Jimmy Hendrix Janis Joplin, The mamas and the papas, Greatful Dead e Jeferson Airplane. O rock foi misturado com influencias folk e psicodélicas. E a partir daí , se tornaria cada vez mais experimental. Claro que essa revolução mudou significamente os rumos da moda. A primeira grande mudança foi o surgimento da mini saia. Num comprimento que nunca havia sido usado antes, a mulher agora possuía a liberdade para mostrar as pernas. Os cabelos eram armados, quase estruturados, e o principal foco de antenção eram os olhos, destacados com camadas de cílios postiços.Os homens agora usavam roupas coloridas , e peças como camisas e calça boca de sino, influenciados pelo Flower Power. As roupas da década de 60 tinham cara de futuristas, influenciadas pela conquista espacial.
Outra grande mudança para a moda nos anos 60 foi o aparecimento do prêt-a-porter . As roupas já não eram feitas sob medida, mas acompanhavam o ritmo do crescimento industrial, feitos em larga escala e em tamanhos pré-definidos. Por fim, outra mudança trazida nessa década foi a quebra de diferenciação entre o masculino e o feminino, com o aparecimento de roupas unissex, como camisetas, tênis e jeans.




A moda futurista, inspirada na conquista espacial






Jimmy Hendrix e Janis Joplin, que revolucionaram o rock.





Bob Dylan, que deu uma cara mais folk pro rock.



Banda Jeferson Airplaine

terça-feira, 21 de julho de 2009

Workshop de Estilo - Carmem Martins



Gente !! Nesse sábado fui para o workshop de estilo, feita pela consultora de imagem Carmem Martins, que escreve no Achados de Moda. Como foi a Workshop Carmem falou da importância da Imagem, e de como ela é um espelho de nós mesmos, de quem somos e de como interagimos com o ambiente. Falou também da diferença entre moda e estilo. Moda tem a ver com consumo, é efêmera e bem mais coletiva. Já o estilo é único, sofre bem menos alterações do que a moda, que está sempre em constante mudança. Vimos um pouco de cada estilo, e a Carmem disse que era possível pertencer a mais de um. Por isso, a melhor forma de identificá-lo é eliminando aquilo que você não usaria. No workshop também aprendemos sobre os tipos físicos, cores, e dicas valiosíssimas de como ter um guarda roupa que facilita sua vida. Gostei muito do workshop. Eu já conhecia um pouco sobre consultoria de imagem, já havia até publicado anteriormente no Amélias um post sobre o assunto. Inclusive, foi assim que conheci o trabalho da Carmem Martins. Mas, vendo a workshop, pude ver esse trabalho mais de perto. Vendo uma consultora analisar o estilo de várias pessoas, percebe-se como cada estilo é único. Por isso que é tão importante ter um grande conhecimento sobre imagem pessoal.

Enfim, fica a dica do workshop para quem quiser aprender mais sobre o próprio estilo. Gostaria de agradecer a Carmem mais uma vez pelo convite. Adorei! Vou seguir todas as dicas. Mal posso esperar para comprar algumas peças de alfaiataria que a Carmem me indicou para dar um pouco mais de senioridade ao meu estilo.

E para quem quiser conhecer mais o trabalho da Carmem Martins, estão aqui os endereços de seus sites:

http://www.carmenmartins.com.br/
http://www.achadosdemoda.com.br/



O pessoal super simpático e descontraído no Workshop.



Posando para a foto com muito charme e estilo.



Meninas aplicadas na atividade de estilo.



Carmem Martins analizando o estilo de cada participante.







Atividade de colagem para identificar o estilo de cada um.



quinta-feira, 16 de julho de 2009

O rock e a Moda - Parte 2

Continuando a matéria sobre o rock e a moda, vou falar agora no nascimento do rock.

O Pós Guerra e a Geração Beat

Com o fim da guerra, e com os jovens voltando para a casa com muita energia e uma dose de testosterona extra, o rock começaria a ser difundido. O que ajudou o rock a ser difundido como um estilo musical das massas é que ele seria chamado de "ritmo de brancos" com o novo ídolo que surgia: Elvis Presley.
Elvis se consagrou rei do rock por ser o primeiro americano branco tocando músicas contagiantes, e as dançando como se fosse um negro. Tão forte foi a influencia que exerceu na música, que o rock e seu movimento de contra cultura começou a ser retratado nas telas do cinema. Marlon Brando no filme "Um bonde chamado desejo" e James Jean em "Juventude Transviada". O visual desses três ídolos remetia a agressividade e a virilidade, totalmente contrário aos padrões da época. A calça jeans era usada bem apertada, com camiseta branca, e com a peça que mais foi símbolo dessa época: a jaqueta perfecto. Era um modelo em couro, com lapelas pontudas e com fechamento em zíper. Os cabelos eram usados como o de Elvis, com topete e muita brilhantina.
O visual das garotas, apesar de romantico, era menos glamouroso do que o das mulheres da década de 50. Foi nessa época que apareceu o New Look do Dior, com cintura marcada e saia na altura do tornozelo. As Beatnicks usavam a saia rodada com uma versão mais feminina na jaqueta perfecto, e finalizavam com rabo de cavalo e óculos de gatinha. Algumas mais ousadas já arriscavam usar calça cigarrete no lugar da saia rodada.



Elis, o Rei do Rock: "Som de branco, atitude de negro"



Grande escritor da geração Beat: Jack Kerouac



Os visual dos beatniks: As mais ousadas já arriscavam uma cigarrete.



Marlon Brando e James Jean: Símbolos do visual com alta dose de virilidade da época.


quarta-feira, 15 de julho de 2009

Novo clipe da Lily Allen






Lily a la Garçone



Meninas com visuais de diferentes épocas



Vamos dançar o Foxtrott!

Ameeeiii!!! Além da música ser linda, “22” tem um clima todo Art Déco da década de 20. Lily se superou dessa vez... Não achei que ia ver nada melhor do que “Not Fair”

Veja o clipe no Youtube

http://www.youtube.com/watch?v=tWjNFC-FinU

segunda-feira, 13 de julho de 2009

O rock e a Moda - Parte 1

Resolvi escrever esse post em comemoração ao dia do rock. Todo mundo sabe o quanto o rock mudou o mundo, e claro que um estilo musical tão importante é influencia forte na moda. Pesquisando sobre o assunto, acabei vendo como sua história é extensa. E para conseguir passar a informação bem completinha, vou dividir o conteúdo em vários posts.

1- Origem e Começo

O Blues e o Rock

O rock nasceu desse ritmo que vem dos negros americanos. Começou a ganhar força na segunda guerra mundial, já como música de protesto, mas também de muito ritmo. Era apreciado por várias tribos da época, inclusive os chamados Zazous. Os zazous eram contra a guerra, o nazismo e o fascismo. Claro que todo o visual era influenciado por esses questionamentos. Os homens usavam terno e gravata, a calça era feita cheia de bolsos, e o blazer era construído com um ombro extremamente largo, característica que era usada como crítica ao racionamento de tecidos, que ocorrera na época por causa da guerra. As mulheres também usavam esse tipo de casaco, já com indicios de que a partir daí, ela usaria cada vez mais itens do guarda roupa masculino. Elas também usavam uma saia que já era mais curta do que a saia então vigente, e ainda finalizavam com meia calça listrada.




Let's listen to Jazz !!!



Caricatura da época satirizando os zazous.



O jazz, ente outros ritmos negros, era muito apreciado pelos zazous.



Exemplo de releitura contemporânea das roupas dos Zazous, by Kenzo.

sábado, 4 de julho de 2009

Hoje tem encontro de Meninas com Modas


Adorei essa foto que a Renata Ruiz postou lá no Moda para Usar. Eu, soltando o verbo.


Eu e a Telma Guedes do "Coisas bacanas de Telma"


Renata Ruiz, Carmem Martins e Marcela Kauffman


Meia calça é tuuudo !!!

Hoje acontece na loja SHoestock da Vila Olímpia o "Encontro de Meninas com Modas". Esse encontro serve para juntar algumas blogueiras de moda, como Renata Ruiz do "Moda para Usar" e Carmem Martins do "Achados de Moda" com suas leitoras.
Também participam do evento o pessoal da comunidade de moda By Mk, da Marcela Kauffman.
Ou seja, é uma grande oportunidade para internautas de Moda em geral se unirem para uma palestra bacana com clima de bate-papo.

Update

Mais de 100 leitoras daqui de São Paulo e até de outros lugares do país se reuniram na tarde de ontem para o encontro.
Já faz um tempinho que eu acompanho esses blogs e foi muito gostoso participar. Internet é uma ótima forma de se relacionar e trocar informações, mas um encontro ao vivo é sempre melhor.
A palestra foi comandada pelas três blogueiras e foi divertidíssima, discutindo temas relacionados a moda e a estilo. Enquanto isso membros da comunidade ByMk e os leitores do Amélias podiam acompanhar o evento transmitido ao vivo.
No final ainda teve sorteio de brindes e ingressos para a próxima Workshop de estilo da Carmem Martins, no próximo dia 18 de julho. Inclusive eu vou estar lá.

Enfim, valeu muito a pena participar do evento, mal posso esperar pelo próximo.

Update

Fiquei devendo as fotos do encontro. Mas o fofo do Roberto Sena do http://sampameulugar.wordpress.com/ me passou todas. Valew !!!
Ocorreu um erro neste gadget