quinta-feira, 16 de julho de 2009

O rock e a Moda - Parte 2

Continuando a matéria sobre o rock e a moda, vou falar agora no nascimento do rock.

O Pós Guerra e a Geração Beat

Com o fim da guerra, e com os jovens voltando para a casa com muita energia e uma dose de testosterona extra, o rock começaria a ser difundido. O que ajudou o rock a ser difundido como um estilo musical das massas é que ele seria chamado de "ritmo de brancos" com o novo ídolo que surgia: Elvis Presley.
Elvis se consagrou rei do rock por ser o primeiro americano branco tocando músicas contagiantes, e as dançando como se fosse um negro. Tão forte foi a influencia que exerceu na música, que o rock e seu movimento de contra cultura começou a ser retratado nas telas do cinema. Marlon Brando no filme "Um bonde chamado desejo" e James Jean em "Juventude Transviada". O visual desses três ídolos remetia a agressividade e a virilidade, totalmente contrário aos padrões da época. A calça jeans era usada bem apertada, com camiseta branca, e com a peça que mais foi símbolo dessa época: a jaqueta perfecto. Era um modelo em couro, com lapelas pontudas e com fechamento em zíper. Os cabelos eram usados como o de Elvis, com topete e muita brilhantina.
O visual das garotas, apesar de romantico, era menos glamouroso do que o das mulheres da década de 50. Foi nessa época que apareceu o New Look do Dior, com cintura marcada e saia na altura do tornozelo. As Beatnicks usavam a saia rodada com uma versão mais feminina na jaqueta perfecto, e finalizavam com rabo de cavalo e óculos de gatinha. Algumas mais ousadas já arriscavam usar calça cigarrete no lugar da saia rodada.



Elis, o Rei do Rock: "Som de branco, atitude de negro"



Grande escritor da geração Beat: Jack Kerouac



Os visual dos beatniks: As mais ousadas já arriscavam uma cigarrete.



Marlon Brando e James Jean: Símbolos do visual com alta dose de virilidade da época.


Um comentário:

Ocorreu um erro neste gadget