quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Um último adeus a Alexander McQueen


** O estilista ao final do último desfile que estaria presente, na coleção Verão 2010 RTW.

Na semana passada, o mundo fashion parou ao saber que o estilista londrino Alexander McQueen havia cometido suicídio.
A moda perde um de seus grandes ícones e me pergunto quais rumos ela irá tomar daqui para frente.
Alexander era um estilista realmente único, e sua obra é um verdadeiro legado.
No que se diz a ela, não é do tipo que inspira um tipo de mulher, ou um estilo de vida.
As coleções de McQueen sempre nos convidavam a fazer verdadeiras viagens a outros mundos (Ou uma única viagem: Ao seu mundo interior).

*Coleção Verão 2010 Ready to Wear exibida em Paris.

*Coleção Verão 2010 Ready to Wear exibida em Paris.

*Coleção Verão 20o9 Resort Colection exibida em Paris.

*Coleção Outono 20o8 Ready to wear exibida em Paris.

*Coleção Outono 20o8 Ready to wear exibida em Paris.

O estilo das roupas do estilista sempre atraiu muitas mulheres famosas, principalmente as com estilo único, que correspondiam à suas obras. Chloe Sevigne sempre esteve em seus desfiles, e quando era questionada se as roupas de McQueen eram difícies de serem vestidas, ela respondia: “Yes, but so is the best of fashion”.


*Chloe Sevigny, fã declarada do estilista.

Lady GaGa estava entre uma de suas novas adeptas, e no seu último clipe “Bad Romance”, GaGa usa McQueen do começo ao fim. Aliás, foi ela que prestou uma belíssima homenagem a ele na sua apresentação no British Awards desse ano, que aconteceu logo depois de sua morte.


* Clipe de "Bad Romance" onde as criações de McQueen estão presentes em quase todos os figurinos, como nas imagens acima e abaixo.


McQueen nunca foi espalhafatoso como seus colegas de profissão, como Karl Lagerfeld, com seu visual pesado e as famosas luvas com os dedinhos para fora, ou John Galliano, que sempre vem vestido da coleção que apresenta. Ao final de seus desfiles, que eram verdadeiros shows teatrais, Alexander aparecia com um sorriso discreto, usando calça social e camisa ou simplesmente calça jeans e camiseta.


*Alexander McQueen em seu ateliê.

Tal era sua discrição, que a todos surpreendeu quando foi anunciada sua morte. Alexander estava em profunda depressão desde a morte de sua mãe no ano passado. Infelizmente, ele não pode superar essa perda, e garanto que assim será o mundo da moda com a perda desse grande estilista.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Análise Figurino - Abraços Partidos - Parte 4



Ánalise do Figurino

Magdalena (Lena) : Na primeira cena em que aparece trabalhando como secretária, usa um clássico tailleur cinza. Nada chamando a atenção, pois está em um ambiente profissional e a intenção dessa cena era mostrar seu lado sofrido, pois já no início recebe uma ligação de sua mãe, dando más notícias sobre o pai doente.



O que ninguém sabe é que Lena, quando precisa de dinheiro, faz bicos como prostituta de luxo. Já nessa cena ela aparece com lingerie preta, toda maquiada e com um tricôt vermelho, muito sensual.
Aliás, no figurino de Lena o que predomina é a cor vermelha, já que essa é muito associada à sensualidade, desejo e sexo.
No dia seguinte, desesperada, Lena resolve pedir ajuda a Ernesto Martel. Ele se prontifica a ajudar, e interna o pai de Lena em um hospital particular. Ela está com a mão na sala de espera e usa uma saia e camisa de secretária, mas a camisa é... vermelha!
Lena vai trabalhar e a mãe os fita indo embora. Esse é o primeiro indício de que os dois irão ter um caso.



Quando passa a viver com Ernesto, o figurino de Lena passa a ser muito glamouroso: Usa muita maquiagem, cabelo sempre arrumado, em geral com muito volume, e é adornada de muitas jóias, inclusive suas roupas. Chega a lembrar uma rainha, uma espécie de Cleópatra moderna.



No filme que Lena atua para Mateo, ela é transformada em musas do cinema, como Marilyn Monroe. Sua personagem ganha uma cara de Audrey Hepburn às avessas, bem mais divertida e colorida.






Na cena mais intrigante do filme, aquela em que Martel a empurra da escada, Lena está usando vermelho dos pés à cabeça: Tailleur ajustado ao corpo e um sapato peep toe meia pata com salto agulha... altíssimo.
Ao cair da escada, olha para cima e o fita, com os olhos amedrontados e com a boca, embora sem sorriso, com o batom mais vermelho possível. Inclusive é essa cena que é ilustrada no cartaz do filme.



Seu figurino só vai ficar com uma cara mais leve quando foge com Mateo para a praia, bem longe de Madri. Aí o que predomina é a cor branca. Parece que até em suas roupas Lena está pedindo por um pouco de paz. Mas nos momentos em que está sozinha com Mateo, claro que não deixa de usar seu usual vermelho.



Aqui termina minha série de posts sobre Abraços Partidos, um filme tão intrigante que um post apenas não seria capaz de descrevê-lo.
Em breve escreverei mais análises de filmes.
Ah... dia 11 começa a semana de moda de Nova York, e com ela, a temporada internacional. Portanto, vem muito mais por aí !!!

Análise Figurino - Abraços Partidos - Parte 3


Figurino

Continuando a série sobre o filme "Abraços Partidos", faço uma análise do figurino de algumas das personagens:



Judit: Nunca mostra o corpo, nem usa decotes. Suas blusas no geral têm uma gola que cobre todo o pescoço. O cabelo é curtinho, como quem prefere a praticidade e abre mão da feminilidade.A única ousadia em suas roupas é o colorido dos cardigãns que usa para cobrir os braços.



Ernesto Martel Filho: Quando mais novo, é um ruivinho sardento e franzino, com o olhar desconfiado. Usa cabelo tigelinha e roupas sem traços de um estilo próprio, pois ainda é mau resolvido com sua sexualidade. No geral, usa um estilo nerd, misturando calça jeans com camisa xadrez, e finaliza com um suéter (ui!).
Se torna um adulto bem mais seguro e tão inescrupuloso quanto o pai, e adota um estilo Dolce&Gabana de ser, com jeans apertado, óculos escuros, jaqueta ajustada e topete com costeleta.

Análise Figurino - Abraços Partidos - Parte 2



Resenha do Filme

Mateo é um diretor de cinema que está escrevendo seu novo filme, “Chicas Y Maletas” e está procurando por uma protagonista.
É assim que conhece Lena, uma mulher muito atraente e misteriosa, amante do mega empresário Ernesto Martel, que por sinal é um homem muito ambicioso e inescrupuloso e está obcecado por Lena.



Lena o conheceu quando trabalhava como sua secretária, e o caso dos dois começou quando Martel ajudou o pai de Lena com tratamentos médicos, pois possuia um câncer de estômago em estágio avançado.



Ao ver Lena, Mateo fica encantado desde o primeiro instante, e claro que a contrata para ser a protagonista do filme. Assim começa o verdadeiro romance da história, de forma intensa e marcante, e que termina de uma forma trágica.
Outros personagens marcam a trama, como Ernesto Martel filho, que vira uma espécie de detetive-documentarista, a serviço do pai, e a fiel agente de Mateo, Judit e seu filho Diego.



Neste filme, Almodóvar atinge a maturidade do estilo de seus filmes, e prova mais uma vez que é um grande diretor e que sabe como ninguém conduzir uma história que até o final te deixa louco para saber o que acontece.
Já Penélope Cruz prova por que é sua musa, pois só ela seria capaz de atuar com tanta intensidade, ainda mais nesse papel que foi feito especialmente para ela. E mais: Na vida de Lena, há elementos da vida da própria de Penélope, como por exemplo o fato das duas, a atriz e a personagem, serem atrizes.



Análise Figurino - Abraços Partidos - Parte 1



Toda vez que Almodóvar lança um filme novo, eu o nomeio meu novo filme favorito. Foi assim com “Volver” e agora com “Abraços Partidos”.
O filme é simplesmente maravilhoso, com uma história envolvente e com muitos mistérios, bem ao estilo Almodóvar.



A fotografia é belíssima, cheia de cores e mesclada com as melhores paisagens da Espanha.
Claro que o figurino é outro espetáculo a parte, e esse vou analisá-lo aqui, mostrando o quanto um bom trabalho de figurino ajuda na construção dos personagens e que na maioria das vezes contém mensagens que são fundamentais na cena.



Vou publicar aqui um resumo da história e a análise do figurino de alguns personagens, e pelo tamanho que ficou o texto, vou dividí-lo em partes. Espero que gostem e que se apaixonem pelo novo filme de Almodóvar assim como eu me apaixonei.
Ocorreu um erro neste gadget